Fazemos acontecer

Up grade na piscina

Publicado na Revista Tutti Vida & Estilo | 05ª Edição | Dezembro | 2012
Foto: Humberto Sarajevo

Capa de PVC automatizada e uso de ozônio podem manter a piscina limpinha por muito mais tempo

No Verão, a piscina vira centro das atrações no condomínio ou em casa. Mas esse espaço exige uma série de cuidados. Piscina suja espanta qualquer visita. Além dos novos sistemas para limpeza da água (e atualmente o mais indicado é o que mistura cloro e ozônio), há a possibilidade de cobrir a piscina com um simples comando de controle remoto.

A TimberFloor Pisos de Madeira, de Piracicaba, instala capa em PVC automatizada. O produto tem tecnologia alemã e a empresa realiza todo o sistema de instalação.

A capa automatizada é comercializada há apenas três anos no Brasil, conta  Flávio Ferraz, proprietário da TimberFloor. A instalação envolve know-how para cada espaço a ser coberto. O planejamento inclui um projeto específico para a área da lona e para o armazenamento da máquina e do PVC. A sugestão é a instalação de um deck na arquitetura do espaço. 


Além da comodidade, a capa garante a segurança de crianças e de animais de estimação. Como a cobertura é rígida, não há possibilidade de o animal passar pela lona e ficar preso entre a água e o PVC – a maior incidência de afogamento com mortes de animais acontece por este motivo. A cobertura garante sustentação de até 50 quilos. Outro aspecto positivo é a redução no uso de produtos químicos para o tratamento da água.

 

LIMPEZA

Para a limpeza da água, o ‘velho amigo’ cloro continua sendo indispensável. “A utilização do cloro é fundamental para a manutenção da limpeza da água, além da segurança e garantia de sua salubridade. Quando combinado com ozônio, o efeito do cloro é ainda melhor em termos de limpeza”, afirma Rodrigo Sbizero, diretor comercial da Panozon, empresa especializada no setor.

Isso porque não existe piscina 100% higienizada sem uso de cloro. O mercado apresenta alternativas mais baratas, mas também menos seguras, como o tratamento feito apenas com sal. O problema é que o elemento não combate todos os poluentes que ficam na água. É algicida (evita que a água fique verde), mas não elimina bactérias. O resultado é uma água cristalina, porém não necessariamente limpa.

O tratamento com raios ultravioleta também é outra opção, mas serve apenas como germicida e não tem propriedades bactericidas. Há também os ionizadores. A liberação de íons de cobre favorece a eliminação de algas (água verde) e os íons de prata eliminam bactérias. Porém, resíduos de suor, urina e produtos como bronzeadores e protetores solares ficam na água.

Em comparação, no sistema que utiliza cloro e ozônio, as duas substâncias garantem a limpeza total da água da piscina. Além disso, o sistema de gerador de ozônio utiliza o ar ambiente, não afeta a natureza e garante a salubridade da água.

Revista Tutti Vida & Estilo Ver todas


Index Soluções
MBM Escritório de Ideias.
Rua Professor Luiz Curiacos, 109 – salas 513 e 514   Cidade Jardim   CEP 13416-461   Piracicaba SP  Fone 19 3371 5944  contato@mbmideias.com.br